Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Isaías 59 a 62 (dia 188)

CAPÍTULO 59

Os pecados do povo são condenados

1Vocês estão pensando que o Senhor perdeu a força
e não pode nos salvar?
Ou pensam que ele está surdo e não pode nos ouvir?
2Pois são os pecados de vocês que os separam do seu Deus,
são as suas maldades que fazem com que ele se esconda de vocês
e não atenda as suas orações.
3Vocês têm as mãos manchadas de sangue
e os dedos sujos de crimes;
vocês só sabem contar mentiras,
e os seus lábios estão sempre dizendo coisas que não prestam.
4Não é para procurar a justiça que vão ao tribunal,
e ninguém diz a verdade ao juiz.
Todos confiam em mentiras e falsidades;
inventam maldades e praticam crimes.
5Os seus planos perversos são como os ovos de uma cobra venenosa:
quem come os ovos morre,
e, se um se quebra,
dele sai outra cobra venenosa.
Os seus planos não prestam para nada;
parecem teias de aranha;
6elas não servem para fazer roupa,
e ninguém pode se vestir com elas.
Tudo o que vocês fazem é mau,
todas as suas ações são criminosas.
7Vocês correm para fazer o que é errado
e se apressam para matar pessoas inocentes;
vocês pensam somente em maltratar os outros
e, por onde passam, deixam a destruição e a desgraça.
8Não conhecem o caminho da paz,
e todas as suas ações são injustas.
Vocês preferem seguir caminhos errados
e por isso não têm segurança.



O povo confessa os seus pecados

9Deus ainda não nos salvou, pois temos pecado,
e por isso ele demora em nos socorrer.
Procuramos a luz, mas só encontramos a escuridão;
buscamos lugares claros, mas continuamos nas trevas.
10Andamos apalpando as paredes como se fôssemos cegos,
como se não tivéssemos olhos;
ao meio-dia tropeçamos como se fosse de noite
e, em plena flor da idade, parecemos mortos.
11Rugimos como ursos assustados,
gememos como pombas;
esperamos a salvação, porém ela demora;
desejamos socorro, mas ele está longe de nós.
12Temos pecado muito contra ti, ó Deus,
e os nossos pecados nos acusam.
Não podemos esquecer as nossas maldades;
reconhecemos que somos culpados.
13Não temos sido fiéis, temos nos revoltado contra ti
e nos afastado de ti, o nosso Deus.
Temos falado de crimes e de revoltas
e temos feito planos para enganar os outros.
14A justiça é posta de lado,
e o direito é afastado.
A verdade anda tropeçando no tribunal,
e a honestidade não consegue chegar até lá.
15A verdade desapareceu,
e os que procuram ser honestos são perseguidos.



Deus salvará o seu povo

O Senhor se desgostou
ao ver que não havia justiça.
16Ele ficou espantado
quando viu que não havia ninguém que socorresse o seu povo.
Então com a sua própria força ele venceu
e, por ser o Deus justo,
conseguiu a vitória.
17O Senhor vestiu a couraça da justiça
e pôs na cabeça o capacete da salvação;
a vingança lhe serviu de roupa,
a sua ira foi a capa que usou.
18Ele dará a cada um o castigo que merece.
Na sua ira, castigará os seus inimigos,
e povos de países distantes receberão o que merecem.
19Todos, desde o Leste até o Oeste,
temerão o Senhor e o seu poder.
Pois ele virá como uma forte correnteza
que é levada por um vento furioso.
 
 20O Senhor Deus diz:

“Eu virei a Sião como Redentor
para salvar as pessoas do meu povo que se arrependerem.”


21O Senhor diz ao seu povo:
 
— Esta é a aliança que vou fazer com vocês: o meu Espírito, que eu lhes dei, e os meus ensinamentos, que eu lhes entreguei, ficarão com vocês para sempre. Vocês os ensinarão aos seus filhos e aos seus descendentes, agora e para sempre. Eu, o Senhor, falei.
 


CAPÍTULO 60

A beleza da nova Jerusalém

1Levante-se, Jerusalém!
Que o seu rosto brilhe de alegria,
pois já chegou a sua luz!
A glória do Senhor está brilhando sobre você.
2A terra está coberta de escuridão,
os povos vivem nas trevas,
mas a luz do Senhor está brilhando sobre você;
sobre você aparece a glória de Deus.
3Atraídos pela sua luz, Jerusalém,
os povos do mundo virão;
o brilho do seu novo dia
fará com que os reis cheguem até você.
4Jerusalém, olhe em redor e veja o que está acontecendo!
Os seus filhos estão voltando, eles estão chegando!
Os seus filhos vêm de longe,
as suas filhas vêm nos braços das mães.
5Quando você vir isso, ficará radiante de alegria;
cheio de emoção, o seu coração baterá forte.
Os povos que vivem no outro lado do mar virão,
trazendo todas as suas riquezas para você.
6Os povos de Midiã e de Efa chegarão
com enormes caravanas de camelos;
virá também o povo de Sabá,
trazendo ouro e incenso.
Todos eles anunciarão as grandes coisas que o Senhor fez.
7De Quedar e de Nebaiote, virão carneiros
que serão oferecidos no altar de Deus
como sacrifícios que agradam a ele.

O Senhor fará com que o seu lindo Templo
seja mais belo ainda.
8Que navios são esses que vêm deslizando como nuvens,
como pombas voltando ao pombal?
9São navios que vêm de longe;
os maiores vêm na frente,
trazendo o povo de Deus de volta para o seu país.
Trazem também prata e ouro
para oferecer ao Senhor, o Santo Deus de Israel,
que deu a vocês, o seu povo, muita glória.
10O Senhor diz a Jerusalém:

“Estrangeiros reconstruirão as suas muralhas,
e os reis deles trabalharão para você.
Eu estava irado e por isso a castiguei,
mas eu a amo e tenho compaixão de você.
11Os seus portões ficarão sempre abertos,
não serão fechados nem de dia nem de noite,
para que as nações, guiadas pelos seus reis,
tragam as suas riquezas para você.
12As nações que não a servirem serão destruídas;
elas serão completamente arrasadas.”

13“Cipreste, pinheiro e zimbro,
que são as melhores madeiras do Líbano,
serão trazidos para você
a fim de tornarem ainda mais belo o meu Templo,
o estrado onde descanso os meus pés.
14Também virão os filhos dos reis que a exploraram e maltrataram
e se ajoelharão em frente de você;
todos os que a desprezaram virão até você
e encostarão o rosto no chão.
Você será chamada de ‘Cidade do Senhor’,
a ‘Sião do Santo Deus de Israel’.”

15“Nunca mais você será odiada,
nunca mais será uma cidade abandonada, sem moradores;
eu farei com que você seja bela e poderosa,
com que seja para sempre uma cidade alegre.
16Nações e reis estrangeiros cuidarão de você,
como a mãe que dá de mamar ao filho.
Então você ficará sabendo que eu, o Senhor, sou o seu Salvador,
que eu, o Poderoso Deus de Israel, sou o seu Redentor.”

17“Em vez de bronze, eu trarei ouro para você,
e prata, em vez de ferro;
trarei bronze e ferro, em vez de madeira e pedras.
Farei com que a paz seja o seu rei
e com que a justiça a governe.
18Nunca mais haverá violência na sua terra;
o seu país não será destruído e arrasado novamente;
você chamará as suas muralhas de ‘Salvação’
e os seus portões de ‘Louvor a Deus’.”

19“Nunca mais o sol a iluminará de dia,
nem a lua, de noite;
pois eu, o Senhor, serei para sempre a sua luz,
e a minha glória brilhará sobre você.
20Eu serei o seu sol e a sua lua,
um sol que nunca se põe, uma lua que não para de brilhar.
A minha luz brilhará sobre você para sempre,
e os seus dias de luto chegarão ao fim.
21O seu povo fará o que é direito
e para sempre será dono da Terra Prometida.

Eles são a planta que eu plantei;
com as minhas próprias mãos, eu os fiz
para que eles mostrem a todos a minha grandeza.
22Este punhado de gente será um povo numeroso;
esta nação, tão pequena, será a mais poderosa de todas.
Eu sou o Senhor
e logo, no tempo certo, farei com que isso aconteça.”



CAPÍTULO 61

A salvação de Israel

1O Senhor Deus me deu o seu Espírito,
pois ele me escolheu para levar boas notícias aos pobres.
Ele me enviou para animar os aflitos,
para anunciar a libertação aos escravos
e a liberdade para os que estão na prisão.

2Ele me enviou para anunciar
que chegou o tempo em que o Senhor salvará o seu povo,
que chegou o dia em que o nosso Deus se vingará dos seus inimigos.
 
Ele me enviou para consolar os que choram,
3para dar aos que choram em Sião
uma coroa de alegria, em vez de tristeza,
um perfume de felicidade, em vez de lágrimas,
e roupas de festa, em vez de luto.

Eles farão o que é direito;
serão como árvores que o Senhor plantou
para mostrar a todos a sua glória.
4Eles reconstruirão casas que haviam caído
e cidades que tinham sido arrasadas
e que há muitos anos estavam em ruínas.

5Meu povo, estrangeiros virão e cuidarão
das suas ovelhas, das suas plantações e das suas parreiras.
6E vocês serão conhecidos como sacerdotes do Senhor,
como servos do nosso Deus.
As riquezas das outras nações serão de vocês,
e vocês se orgulharão de serem donos dessa imensa fortuna.
7A vergonha e a desgraça que vocês passaram
eram duas vezes mais do que mereciam;
mas agora vocês viverão no seu país,
onde receberão o dobro de riquezas
e serão felizes para sempre.

 
 8O Senhor diz:
 
“Eu amo a justiça e odeio o roubo e o crime.
Serei fiel, e darei ao meu povo a sua recompensa,
e farei com ele uma aliança eterna.
9Os seus descendentes serão famosos em todas as nações;
todos os que os virem
reconhecerão que eles são um povo que eu abençoei.”



Hino de louvor dos moradores de Jerusalém

10Nós nos alegraremos e cantaremos um hino de louvor
por causa daquilo que o Senhor, nosso Deus, fez.
Ele nos vestiu com a roupa da salvação
e com a capa da vitória.
Somos como um noivo que põe um turbante de festa na cabeça,
como uma noiva enfeitada com joias.
11Assim como a terra faz crescer as árvores,
e no jardim o chão faz brotar o que foi semeado,
também o Senhor Deus fará com que brote a sua salvação.
E todas as nações cantarão hinos de louvor a ele.



 CAPÍTULO 62
 
Jerusalém, a esposa de Deus, o Senhor

1Eu amo Sião e por isso não me calarei;
não descansarei até que a sua vitória brilhe como o sol,
e a sua salvação brilhe como uma tocha acesa.
 
2Jerusalém, todas as nações verão a sua vitória,
todos os reis ficarão admirados com a sua beleza.
Você terá um novo nome,
um nome que o Senhor lhe dará.
3Você será como uma bela coroa
que pertence ao Senhor, seu Deus.
 
4Nunca mais a chamarão de “Abandonada”,
e a sua terra não será mais chamada de “Arrasada”.
Você será chamada de “Minha querida”,
e a sua terra, de “Minha esposa”.
Pois o Senhor está contente com você,
e a sua terra será a esposa dele.
 
5Assim como um moço casa com a sua noiva,
também aquele que a construiu casará com você;
assim como o noivo fica feliz com a noiva,
também o seu Deus se alegrará com você.
 
6Nas muralhas de Jerusalém,
o Senhor colocou vigias,
que não deverão ficar calados
nem de dia nem de noite.
 
Vocês, vigias, que fazem com que Deus lembre das suas promessas,
não descansem,
7nem deixem que ele descanse
até que tenha reconstruído Jerusalém,
fazendo dela uma cidade elogiada no mundo inteiro.

 
8Com o seu forte braço direito levantado,
o Senhor fez ao seu povo este juramento:
 
Nunca mais deixarei que o seu trigo
seja comido pelos seus inimigos,
nem permitirei que o seu vinho,
que vocês fizeram com tanto trabalho,
seja bebido por estrangeiros.
 
9Vocês mesmos colherão o seu trigo,
comerão o pão e louvarão a mim, o Senhor.
Vocês mesmos colherão as suas uvas
e beberão o vinho nos pátios do meu Templo.”
 
10Moradores de Jerusalém, saiam da cidade
e preparem o caminho para o seu povo que está voltando.
Aplanem a estrada, tirem todas as pedras
e levantem uma bandeira como sinal
para que todos os povos saibam o que está acontecendo.
11Pelo mundo inteiro,
o Senhor anunciou esta mensagem:
 
“Digam ao povo de Jerusalém
que o seu Salvador está chegando.
Ele traz consigo o povo que ele salvou.”
 
12Vocês serão chamados de “Povo Santo”,
o “Povo que o Senhor Salvou”.
Jerusalém será chamada de “Aquela que Deus Ama”,
Cidade que Deus não Abandonou
.