Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

terça-feira, 12 de abril de 2011

Gênesis 45 a 48 (dia 12)

LIVRO DE GÊNESIS - CAPÍTULO 45

José não conseguiu mais controlar a sua emoção diante dos seus empregados, de modo que gritou:
- Saiam todos daqui!

Por isso, nenhum dos empregados estava ali quando José contou aos irmãos quem ele era. Ele começou a chorar tão alto, que os egípcios ouviram, e a notícia chegou até o palácio do rei.

José disse aos irmãos:
- Eu sou José. O meu pai ainda está vivo?

Quando os irmãos ouviram isso, ficaram tão assustados, que não puderam responder nada.

E José disse:
- Cheguem mais perto de mim, por favor.


Eles chegaram, e ele continuou:
- Eu sou o seu irmão José, aquele que vocês venderam a fim de ser trazido para o Egito. Agora não fiquem tristes nem aborrecidos com vocês mesmos por terem me vendido a fim de ser trazido para cá. Foi para salvar vidas que Deus me enviou na frente de vocês. Já houve dois anos de fome no mundo, e ainda haverá mais cinco anos em que ninguém vai preparar a terra, nem colher. Deus me enviou na frente de vocês a fim de que ele, de um modo maravilhoso, salvasse a vida de vocês aqui neste país e garantisse que teriam descendentes. Portanto, não foram vocês que me mandaram para cá, mas foi Deus. Ele me pôs como o mais alto ministro do rei. Eu tomo conta do palácio dele e sou o governador de todo o Egito.

- Agora voltem depressa para casa e digam ao meu pai que o seu filho José manda lhe dizer o seguinte: "Deus me fez governador de todo o Egito. Venha me ver logo; não demore. O senhor morará na região de Gosém e assim ficará perto de mim - o senhor, os seus filhos, os seus netos, as suas ovelhas, as suas cabras, o seu gado e tudo o que é seu. A fome ainda vai durar mais cinco anos, e em Gosém eu darei mantimentos ao senhor, à sua família e aos seus animais. Assim não lhes faltará nada."

José continuou:
- Todos vocês e Benjamim, o meu irmão, podem ver que sou eu mesmo, José, quem está falando. Contem ao meu pai como sou poderoso aqui no Egito, contem tudo o que têm visto. Vão depressa e tragam o meu pai para cá.

José abraçou o seu irmão Benjamim e começou a chorar. E, abraçado com José, Benjamim também chorou. Então, ainda chorando, José abraçou e beijou cada um dos seus irmãos. Depois disso, os irmãos começaram a falar com ele.

A notícia de que os irmãos de José tinham vindo chegou até o palácio do rei do Egito, e ele e os seus servidores ficaram contentes com isso.

O rei disse a José:
- Diga aos seus irmãos que carreguem os animais e voltem para a terra de Canaã. E me tragam o pai deles e as famílias deles. Eu lhes darei as melhores terras que há no Egito, e eles comerão o que este país produz de melhor. Que os seus irmãos levem daqui do Egito carretas para trazerem as mulheres, as crianças pequenas e também o pai deles. E não se preocupem por deixarem para trás as coisas que têm, pois o melhor que há na terra do Egito será deles.

Os filhos de Jacó fizeram isso. José lhes deu carretas, como o rei havia mandado, e mantimento para a viagem. Também lhes deu roupas novas, mas a Benjamim deu trezentas barras de prata e cinco mudas de roupas. Para o pai, José mandou dez jumentos carregados das melhores coisas do Egito e dez jumentos carregados de trigo, pão e outros mantimentos para a viagem.

Os irmãos se despediram, e na hora de partir José aconselhou:
- Não briguem pelo caminho.

Eles saíram do Egito e, quando chegaram a Canaã, foram à casa de Jacó, o seu pai.

Então lhe disseram:
- José está vivo! Ele é o governador de todo o Egito!

Jacó quase desmaiou e não podia acreditar. Porém, quando lhe contaram tudo o que José tinha dito, e quando viu as carretas que havia mandado para levá-lo para o Egito, Jacó ficou muito animado.

E disse:
- Já chega! O meu filho José ainda está vivo. Quero vê-lo antes de eu morrer.



LIVRO DE GÊNESIS - CAPÍTULO 46

Jacó partiu com tudo o que tinha e foi até Berseba, onde ofereceu sacrifícios ao Deus de Isaque, o seu pai.

Naquela noite, Deus falou com ele numa visão e o chamou assim:
- Jacó, Jacó!

- Eu estou aqui - respondeu ele.

Deus disse:
- Eu sou Deus, o Deus do seu pai. Não tenha medo de ir para o Egito, pois ali eu farei com que os seus descendentes se tornem uma grande nação. Eu irei para o Egito com você e trarei os seus descendentes de volta para esta terra. E, quando você morrer, José estará ao seu lado.

Então Jacó partiu de Berseba.

Nas carretas que o rei do Egito havia mandado, os filhos de Jacó levaram o pai, as esposas deles e os seus filhos pequenos. Jacó e todos os seus foram para o Egito, levando o seu gado e todas as coisas que haviam conseguido em Canaã. Jacó levou consigo todos os seus descendentes, isto é, filhos e filhas, netos e netas.


Os israelitas que foram para o Egito, isto é, Jacó e os seus descendentes, são os seguintes:



* Rúben, o filho mais velho de Jacó, e os filhos de Rúben: Enoque, Palu, Hezrom e Carmi.

* Simeão e os seus filhos Jemuel, Jamim, Oade, Jaquim, Zoar e Saul, que era filho de uma mulher de Canaã.

* Levi e os seus filhos Gérson, Coate e Merari.

* Judá e os seus filhos Selá, Peres e Zera (Os outros dois filhos, Er e Onã, haviam morrido em Canaã.). Os filhos de Peres foram Hezrom e Hamul.

* Issacar e os seus filhos Tolá, Puá, Jasube e Sinrom.

* Zebulom e os seus filhos Serede, Elom e Jaleel.

Esses foram os filhos que Léia deu a Jacó na Mesopotâmia, além da sua filha Dina. Os descendentes de Jacó e Léia eram trinta e três.



* Gade e os seus filhos Zifião, Hagui, Suni, Esbom, Eri, Arodi e Areli.

* Aser e os seus filhos Imna, Isva, Isvi e Berias e a irmã deles, que se chamava Sera. Os filhos de Berias eram Héber e Malquiel.

Esses dezesseis foram os descendentes de Jacó e Zilpa, a escrava que Labão deu à sua filha Léia.



Raquel, mulher de Jacó, lhe tinha dado dois filhos:

* José e

* Benjamim.

Os filhos de José com Asenate foram Manassés e Efraim, que nasceram no Egito. Asenate era filha de Potífera, sacerdote da cidade de Heliópolis.

Os filhos de Benjamim foram Belá, Bequer, Asbel, Gera, Naamã, Eí, Rôs, Mupim, Hupim e Arde.

Esses catorze foram os descendentes de Jacó e Raquel.



* e o seu filho Husim.

* Naftali e os seus filhos Jazeel, Guni, Jezer e Silém.

Esses sete foram os descendentes de Jacó e Bila, a escrava que Labão deu à sua filha Raquel.



Ao todo foram para o Egito sessenta e seis descendentes diretos de Jacó, sem contar as mulheres dos seus filhos.

Os dois filhos de José nasceram no Egito. Assim, foi de setenta o total de pessoas da família de Jacó que foram para o Egito.

Jacó mandou que Judá fosse na frente para pedir a José que viesse encontrá-los em Gosém.

Quando eles chegaram, José mandou aprontar o seu carro e foi para Gosém a fim de se encontrar com o pai.

Quando se encontraram, José o abraçou e chorou abraçado com ele por muito tempo.


Então Jacó disse:
- Já posso morrer, agora que já vi você e sei que está vivo!

Depois José disse aos irmãos e à família do pai:
- Eu vou falar com o rei do Egito e vou lhe dar a notícia de que os meus irmãos e os parentes do meu pai, que moravam em Canaã, vieram para ficar comigo. Vou dizer ao rei que vocês são criadores de ovelhas e cabras e cuidam de gado. Direi que trouxeram as suas ovelhas, o gado e tudo o que têm. Quando o rei lhes perguntar qual é a profissão de vocês, digam que a vida inteira vocês têm sido criadores de ovelhas, como foram os seus antepassados. Assim, vocês poderão ficar morando na região de Gosém, pois os egípcios detestam os pastores de ovelhas.



LIVRO DE GÊNESIS - CAPÍTULO 47

Então José foi dar a notícia ao rei.

Ele disse:
- O meu pai e os meus irmãos vieram da terra de Canaã e estão na região de Gosém com as suas ovelhas e cabras, o seu gado e tudo o que têm.

Depois levou cinco dos seus irmãos e os apresentou ao rei.

O rei perguntou:
- Qual é o trabalho de vocês?

Eles responderam:
- Senhor, nós somos criadores de ovelhas, como foram os nossos antepassados. Viemos morar neste país porque na terra de Canaã não há pastos para os animais, e a fome lá está terrível. Por favor, deixe que a gente fique morando na região de Gosém.

O rei disse a José:
- Agora que o seu pai e os seus irmãos vieram ficar com você, a terra do Egito está às ordens deles. Dê a eles a região de Gosém, que é a melhor do país, para que fiquem morando lá. E, se na sua opinião houver entre eles homens capazes, ponha-os como chefes dos que cuidam do meu gado.

Depois José levou Jacó, o seu pai, e o apresentou ao rei.

Jacó deu a sua bênção ao rei, e este perguntou:
- Qual é a sua idade?

Jacó respondeu:
- Já estou com cento e trinta anos de idade e sempre tenho andado de um lado para outro. A minha vida tem passado rapidamente, e muitos anos foram difíceis. E eu não tenho conseguido viver tanto quanto os meus antepassados, que tiveram uma vida tão dura como a que eu tive.

Jacó deu a sua bênção ao rei e foi embora. E José deu ao pai e aos irmãos terras na melhor região do Egito, perto da cidade de Ramessés, como o rei havia ordenado. Essas terras se tornaram propriedade deles, e eles ficaram morando ali. José dava mantimentos ao pai, aos irmãos e aos parentes, conforme as necessidades de cada família.

Não havia alimento em lugar nenhum, e a fome aumentava cada vez mais. Os moradores do Egito e de Canaã ficaram fracos de tanto passar fome. O povo comprava mantimentos, e José ajuntava todo o dinheiro e o levava para o palácio.

Quando acabou todo o dinheiro do Egito e de Canaã, os egípcios foram falar com José.

Eles disseram:
- Por favor, nos dê comida! Não nos deixe morrer só porque o nosso dinheiro acabou!

José respondeu:
- Se vocês não têm mais dinheiro, tragam o seu gado, que eu trocarei por mantimento.

Os egípcios levaram a José cavalos, ovelhas, cabras, bois e jumentos, e em troca ele lhes deu mantimento durante todo aquele ano.

O ano passou, e no ano seguinte foram dizer a José:
- Senhor, não podemos esconder o fato de que o nosso dinheiro acabou e que os nossos animais agora são seus. Não temos mais nada para entregar a não ser os nossos corpos e as nossas terras. Não deixe a gente morrer. Compre a nós e as nossas terras em troca de alimentos. Seremos escravos do rei, e ele será dono das nossas terras. Dê-nos mantimento para que possamos viver e também sementes para plantarmos, e assim a terra não se tornará um deserto.

Então José comprou todas as terras do Egito para o rei. Todos os egípcios tiveram de vender as suas terras, pois a fome era terrível. Assim, a terra ficou sendo do rei, e José fez dos egípcios escravos no país inteiro.

José só não comprou as terras dos sacerdotes. Eles não tiveram de vendê-las, pois o rei lhes dava certa quantidade de alimentos; e assim eles tinham o que comer.

Então José disse ao povo:
- Agora vocês e as suas terras são do rei, pois eu os comprei para ele. Peguem aqui sementes para semearem nos campos. Do que colherem, dêem a quinta parte ao rei; usem as outras quatro partes para semear e para alimentar vocês, os seus filhos e as pessoas que moram com vocês.

Eles responderam:
- O senhor salvou a nossa vida e tem sido bom para nós. Seremos escravos do rei.

Assim, José fez uma lei que existe até hoje. A lei é a seguinte: em todo o Egito a quinta parte das colheitas pertence ao rei. Só as terras dos sacerdotes não ficaram para o rei.

Os israelitas ficaram vivendo no Egito, na região de Gosém, onde compraram terras e tiveram muitos filhos.

Jacó viveu dezessete anos no Egito, chegando à idade de cento e quarenta e sete anos.

Quando sentiu que ia morrer, Jacó mandou chamar o seu filho José e disse:
- Se lhe posso pedir um favor, ponha a mão por baixo da minha coxa e jure que será fiel e honesto comigo nisto que vou pedir: não me sepulte no Egito. Quando eu morrer, tire o meu corpo do Egito e me coloque na sepultura dos meus antepassados, a fim de que eu descanse com eles.

José respondeu:
- Eu farei o que o senhor está pedindo.

- Então jure - disse Jacó.

José jurou, e aí Jacó se inclinou sobre a cabeceira da cama e orou.



LIVRO DE GÊNESIS - CAPÍTULO 48

Algum tempo depois, disseram a José que o seu pai estava doente.

Então José foi visitá-lo, levando consigo os seus dois filhos, Efraim e Manassés.

Alguém foi dizer a Jacó:
- O seu filho José veio visitá-lo.

Jacó fez um esforço e se sentou na cama.

Aí disse a José:
- O Deus Todo-Poderoso me apareceu na cidade de Luz, lá na terra de Canaã, e me abençoou. Ele me disse: "Eu farei com que você tenha muitos filhos, e os seus descendentes formarão muitas nações. Eu darei esta terra aos seus descendentes para ser propriedade deles para sempre."

E Jacó continuou dizendo a José:
- Agora, os seus filhos Efraim e Manassés, que nasceram aqui no Egito antes de eu vir para cá, esses dois me pertencem. Efraim e Manassés são meus tanto como Rúben e Simeão. Se você tiver outros filhos, eles serão seus e, por serem irmãos de Efraim e de Manassés, terão parte na herança deles. Estou fazendo isso por causa de Raquel, a sua mãe. Nós estávamos voltando da Mesopotâmia, quando, para minha infelicidade, ela morreu no país de Canaã, pouco antes de chegarmos a Efrata. Eu a sepultei ali, na beira do caminho (Efrata é agora conhecida como Belém.).

Quando Jacó viu os filhos de José, perguntou:
- E esses, quem são?

- São os filhos que Deus me deu aqui no Egito - respondeu José.

Jacó disse:
- Ponha-os perto de mim para que eu lhes dê a minha bênção.

Por causa da velhice, a vista de Jacó estava fraca, e ele não podia ver bem.

José levou os rapazes para perto dele, e ele os abraçou e beijou.

Jacó disse a José:
- Eu pensei que nunca mais ia ver você, e agora Deus me deixou ver até os seus filhos.

Então José tirou os dois do colo do seu pai, ajoelhou-se e encostou o rosto no chão. Em seguida, pegou Efraim com a mão direita e Manassés com a mão esquerda e fez com que ficassem perto de Jacó. Dessa maneira, Efraim ficou do lado esquerdo de Jacó, e Manassés, do seu lado direito.

Jacó estendeu os braços e cruzou-os, pondo a mão direita sobre a cabeça de Efraim, embora fosse o mais moço, e a mão esquerda sobre a cabeça de Manassés, que era o mais velho.

Em seguida deu a sua bênção a José, dizendo assim:
"Ó Deus, a quem os meus pais Abraão e Isaque serviram, abençoa estes rapazes. Abençoa-os, ó Deus, tu que me tens guiado como um pastor durante toda a minha vida até hoje. Que os abençoe o Anjo que me tem livrado de todo mal! Que o meu nome seja lembrado por meio deles e também o nome dos meus pais Abraão e Isaque! Que eles tenham muitos filhos e muitos descendentes neste mundo!"

José não gostou quando viu o seu pai colocar a mão direita sobre a cabeça de Efraim; por isso pegou a mão dele para tirá-la da cabeça de Efraim e colocá-la sobre a de Manassés.

E explicou:
- Não, pai; assim não. Este aqui é o filho mais velho; ponha a mão direita sobre a cabeça dele.

Mas Jacó não quis e disse:
- Eu sei, filho, eu sei. Os descendentes de Manassés também serão um grande povo. Mas o irmão mais moço será mais importante do que ele, e os seus descendentes formarão muitas nações.

Desse modo, Jacó os abençoou naquele dia, dizendo:
- Os israelitas usarão os nomes de vocês para dar a bênção. Eles vão dizer assim: "Que Deus faça com você como fez com Efraim e com Manassés."

Dessa maneira Jacó pôs Efraim antes de Manassés.

Aí disse a José:
- Como você está vendo, eu vou morrer. Mas Deus estará com vocês e os levará de volta para a terra dos seus antepassados. Eu dou Siquém a você e não aos seus irmãos. Siquém é aquela região que tomei dos amorreus, lutando com a minha espada e o meu arco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário