Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

terça-feira, 5 de abril de 2011

Gênesis 17 a 20 (dia 5)

LIVRO DE GÊNESIS - CAPÍTULO 17

Quando Abrão tinha noventa e nove anos, o SENHOR Deus apareceu a ele e disse:
- Eu sou o Deus Todo-Poderoso. Viva uma vida de comunhão comigo e seja obediente a mim em tudo. Eu farei a minha aliança com você e lhe darei muitos descendentes.

Então Abrão se ajoelhou, encostou o rosto no chão, e Deus lhe disse:
- Eu faço com você esta aliança: prometo que você será o pai de muitas nações. Daqui em diante o seu nome será Abraão e não Abrão, pois eu vou fazer com que você seja pai de muitas nações.Farei com que os seus descendentes sejam muito numerosos, e alguns deles serão reis. A aliança que estou fazendo para sempre com você e com os seus descendentes é a seguinte: eu serei para sempre o Deus de você e o Deus dos seus descendentes. Darei a você e a eles a terra onde você está morando como estrangeiro. Toda a terra de Canaã será para sempre dos seus descendentes, e eu serei o Deus deles.

Deus continuou:
- Você, Abraão, será fiel à minha aliança, você e os seus descendentes, para sempre. Pela aliança que estou fazendo com você e com os seus descendentes, todos os homens entre vocês deverão ser circuncidados. A circuncisão servirá como sinal da aliança que há entre mim e vocês. De hoje em diante vocês circuncidarão todos os meninos oito dias depois de nascidos, e também os escravos que nascerem nas casas de vocês, e os que forem comprados de estrangeiros. Tanto uns como outros deverão ser circuncidados, sem falta. Esse será um sinal que vai ficar no seu corpo para mostrar que a minha aliança com vocês é para sempre. Quem não for circuncidado não poderá morar no meio de vocês, pois não respeitou a minha aliança.

Depois Deus disse a Abraão:
- De hoje em diante não chame mais a sua mulher de Sarai, mas de Sara. Eu a abençoarei e darei a você um filho, que nascerá dela. Sim, eu a abençoarei, e ela será mãe de nações; e haverá reis entre os seus descendentes.

Abraão se ajoelhou, encostou o rosto no chão e começou a rir ao pensar assim:

"Por acaso um homem de cem anos pode ser pai? E será que Sara, com os seus noventa anos, poderá ter um filho?"

Então Abraão disse a Deus o seguinte:
- Quem dera que Ismael vivesse abençoado por ti!

Mas Deus respondeu:
- O que eu disse foi que Sara, a sua mulher, lhe dará um filho. E você o chamará de Isaque. Eu manterei a minha aliança com ele e com os seus descendentes, para sempre. Também ouvi o seu pedido a respeito de Ismael; e eu o abençoarei e lhe darei muitos filhos e muitos descendentes. Ele será pai de doze príncipes, e eu farei com que os descendentes dele sejam uma grande nação. Mas a minha aliança eu manterei com Isaque, o seu filho, que Sara dará à luz nesta mesma época, no ano que vem.

Quando acabou de falar com Abraão, Deus subiu e o deixou.

Naquele mesmo dia Abraão fez como Deus havia mandado. Ele circuncidou o seu filho Ismael e todos os outros homens da sua casa, incluindo os escravos nascidos na sua casa e os que tinham sido comprados de estrangeiros.

Abraão tinha noventa e nove anos quando foi circuncidado, E o seu filho Ismael tinha treze. Os dois foram circuncidados no mesmo dia. E foram circuncidados também todos os escravos de Abraão, tanto os nascidos na sua casa como os que tinham sido comprados de estrangeiros.



LIVRO DE GÊNESIS - CAPÍTULO 18

O SENHOR Deus apareceu a Abraão no bosque sagrado de Manre.

Era a hora mais quente do dia, e Abraão estava sentado na entrada da sua barraca. Ele olhou para cima e viu três homens, de pé na sua frente.

Quando os viu, correu ao encontro deles. Ajoelhou-se, encostou o rosto no chão e disse:
- Senhores, se eu mereço a sua atenção, não passem pela minha humilde casa sem me fazerem uma visita. Vou mandar trazer água para lavarem os pés, e depois os senhores descansarão aqui debaixo da árvore. Também vou trazer um pouco de comida, e assim terão forças para continuar a viagem. Os senhores me honraram com a sua visita; portanto, deixem que eu os sirva.

Eles responderam:
- Está bem, nós aceitamos.

Abraão correu para dentro da barraca e disse a Sara:
- Depressa! Pegue uns dez quilos de farinha e faça pão.

Em seguida, ele correu até onde estava o gado, escolheu um bom bezerro novo e o entregou a um dos empregados, que o preparou para ser comido. Abraão pegou coalhada, leite e a carne preparada e pôs tudo diante dos visitantes. Ali, debaixo da árvore, ele mesmo serviu a comida e ficou olhando.

Então eles perguntaram:
- Onde está Sara, a sua mulher?

- Está na barraca - respondeu Abraão.

Um deles disse:
- No ano que vem eu virei visitá-lo outra vez. E nessa época Sara, a sua mulher, terá um filho.


Sara estava atrás dele, na entrada da barraca, escutando a conversa. Abraão e Sara eram muito velhos, e Sara já havia passado da idade de ter filhos.

Por isso riu por dentro e pensou assim:
- Como poderei ter prazer sexual agora que eu e o meu senhor estamos velhos?

Então o SENHOR perguntou a Abraão:
- Por que Sara riu? Por que disse que está velha demais para ter um filho? Será que para o SENHOR há alguma coisa impossível? Pois, como eu disse, no ano que vem virei visitá-lo outra vez. E nessa época Sara terá um filho.

Ao escutar isso, Sara ficou com medo e quis negar.
- Eu não estava rindo - disse ela.

Mas o SENHOR respondeu:
- Não é verdade; você riu mesmo.

Depois os visitantes se levantaram e foram para um lugar de onde podiam ver a cidade de Sodoma. E Abraão os acompanhou para lhes mostrar o caminho.

Aí o SENHOR Deus disse a si mesmo:

"Não vou esconder de Abraão o que pretendo fazer. Os seus descendentes se tornarão uma nação grande e poderosa, e por meio dele eu abençoarei todas as nações da terra. Eu o escolhi para que ele mande que os seus filhos e os seus descendentes obedeçam aos meus ensinamentos e façam o que é correto e justo. Se eles obedecerem, farei por Abraão tudo o que prometi."

Aí o SENHOR disse a Abraão:
- Há terríveis acusações contra Sodoma e Gomorra, e o pecado dos seus moradores é muito grave. Preciso descer até lá para ver se as acusações que tenho ouvido são verdadeiras ou não.

Então dois dos visitantes saíram, indo na direção de Sodoma; porém Abraão ficou ali com Deus, o SENHOR.

Abraão chegou um pouco mais perto e perguntou:
- Será que vais destruir os bons junto com os maus? Talvez haja cinquenta pessoas direitas na cidade. Nesse caso, vais destruir a cidade? Será que não a perdoarias por amor aos cinqüenta bons? Não é possível que mates os bons junto com os maus, como se todos tivessem cometido os mesmos pecados. Não faças isso! Tu és o juiz do mundo inteiro e por isso agirás com justiça.

O SENHOR Deus respondeu:
- Se eu achar cinquenta pessoas direitas em Sodoma, perdoarei a cidade inteira por causa delas.

Abraão voltou a dizer:
- Perdoa o meu atrevimento de continuar falando contigo, pois tu és o Senhor, e eu sou um simples mortal. Pode acontecer que haja apenas quarenta e cinco pessoas direitas. Destruirás a cidade por causa dessa diferença de cinco?

Deus respondeu:
- Se eu achar quarenta e cinco, não destruirei a cidade.

Abraão continuou:
- E se houver somente quarenta bons?

- Por amor a esses quarenta, não destruirei a cidade - Deus respondeu.

Abraão disse:
- Não fiques zangado comigo, Senhor, por eu continuar a falar. E se houver só trinta?

Deus respondeu:
- Se houver trinta, eu perdoarei a cidade.

Abraão tornou a insistir:
- Estou sendo atrevido, mas me perdoa, Senhor. E se houver somente vinte?

- Por amor a esses vinte, não destruirei a cidade - Deus respondeu.

Finalmente Abraão disse:
- Não fiques zangado, Senhor, pois esta é a última vez que vou falar. E se houver só dez?

- Por causa desses dez, não destruirei a cidade - Deus respondeu.

Quando o SENHOR Deus acabou de falar com Abraão, ele foi embora, e Abraão voltou para casa.



LIVRO DE GÊNESIS - CAPÍTULO 19

Estava anoitecendo quando os dois anjos chegaram a Sodoma.

estava sentado perto do portão de entrada da cidade. Quando viu os anjos, levantou-se e foi recebê-los.

Ajoelhou-se, encostou o rosto no chão e disse:
- Senhores, estou aqui para servi-los; por favor, aceitem o meu convite e venham se hospedar na minha casa. Os senhores podem lavar os pés e passar a noite ali. Depois se levantarão bem cedo e continuarão a sua viagem.

Eles disseram:
- Não; nós vamos passar a noite na praça.

Mas Ló insistiu tanto, que eles aceitaram e foram com ele para a sua casa. Ló mandou preparar um bom jantar e assar pães sem fermento. E os visitantes jantaram. Mas, antes que eles fossem dormir, todos os homens de Sodoma, tanto os moços como os velhos, cercaram a casa.

Eles chamaram Ló e perguntaram:
- Onde estão os homens que entraram na sua casa esta noite? Traga-os aqui fora para nós, pois queremos ter relações com eles.

Ló saiu para falar com os homens.

Ele fechou bem a porta e disse:
- Por favor, meus amigos, não cometam esse crime! Prestem atenção! Tenho duas filhas que ainda são virgens. Vou trazê-las aqui fora para vocês. Façam com elas o que quiserem. Porém não façam nada com esses homens, pois são meus hóspedes, e eu tenho o dever de protegê-los.

Mas eles responderam:
- Saia da nossa frente!

E diziam uns aos outros:
- Esse homem é estrangeiro e quer mandar em nós!

Depois, virando-se para Ló, disseram:
- Pois agora vamos fazer com você pior ainda do que íamos fazer com os seus hóspedes.

Os homens de Sodoma se atiraram contra Ló e chegaram perto da porta para arrombá-la. Mas os visitantes pegaram Ló, e o puxaram para dentro da casa, e fecharam a porta. Em seguida, eles fizeram que os homens, tanto os moços como os velhos, que estavam do lado de fora, ficassem cegos; e assim não conseguiram encontrar a porta.

Então os visitantes disseram a Ló:
- Tem mais gente sua aqui? Pegue os seus filhos, as suas filhas, os seus genros e outros parentes que você tiver na cidade e tire todos daqui, pois nós vamos destruir este lugar. O SENHOR Deus tem ouvido as terríveis acusações que há contra essa gente e por isso nos mandou para destruirmos Sodoma.

Então Ló saiu e foi falar com os homens que iam casar com as suas filhas.

Ele disse:
- Arrumem-se depressa e saiam daqui porque o SENHOR vai destruir a cidade!

Mas eles pensaram que Ló estivesse brincando.

De madrugada os anjos insistiram com Ló, dizendo:
- Arrume-se depressa, pegue a sua mulher e as suas duas filhas e saia daqui, para que vocês não morram quando a cidade for destruída.

E, como ele estava demorando, os anjos pegaram pela mão Ló, a sua mulher e as suas filhas e os levaram para fora da cidade, pois o SENHOR teve compaixão de Ló.


Então um dos anjos disse a Ló:
- Agora corra e salve a sua vida! Não olhe para trás, nem pare neste vale. Fuja para a montanha; senão você vai morrer.

Mas Ló respondeu:
- Senhor, não me obrigue a fazer isso, por favor! O senhor me fez um grande favor e teve pena de mim, salvando a minha vida. Mas a montanha fica muito longe daqui, e a destruição vai me alcançar e acabar comigo antes que eu chegue lá. Está vendo aquela cidadezinha ali? Ela fica perto. Deixe que eu fuja para lá a fim de salvar a minha vida. Veja que é uma cidade bem pequena.

Então o anjo disse:
- Está bem; concordo. Eu não destruirei aquela cidade. Agora vá depressa, pois eu não poderei fazer nada enquanto você não chegar lá.

Ló tinha dito que a cidade era bem pequena, e por isso ela recebeu o nome de Zoar. Ló chegou a Zoar depois que o sol já havia saído.

De repente, lá do céu, o SENHOR Deus fez chover fogo e enxofre sobre Sodoma e Gomorra.


Ele destruiu essas duas cidades, e também todo o vale e os seus moradores, e acabou com todas as plantas e árvores daquela região.


E aconteceu que a mulher de Ló olhou para trás e virou uma estátua de sal.



No dia seguinte, Abraão se levantou de madrugada e foi até o lugar onde havia falado com Deus, o SENHOR. Abraão olhou na direção de Sodoma, de Gomorra e de todo o vale e viu que da terra subia fumaça, como se fosse a fumaça de uma grande fornalha.

Foi assim que Deus destruiu as cidades do vale. Mas ele pensou em Abraão e fez com que Ló escapasse da destruição das cidades onde havia morado.

Ló teve medo de ficar morando em Zoar e por isso foi para as montanhas, junto com as duas filhas. Ali os três viviam numa caverna.

Certo dia, a filha mais velha disse à mais nova:
- O nosso pai já está ficando velho, e não há nenhum outro homem nesta região. Assim não podemos casar e ter filhos, como é costume em toda parte. Venha cá, vamos dar vinho a papai até que fique bêbado. Então nós nos deitaremos com ele e assim teremos filhos dele.

Naquela mesma noite, elas deram vinho ao pai, e a filha mais velha teve relações com ele. Mas ele estava tão bêbado, que não percebeu nada.

No dia seguinte, a filha mais velha disse à irmã:
- Eu dormi ontem à noite com papai. Vamos embebedá-lo de novo hoje à noite, e você vai dormir com ele. Assim, nós duas teremos filhos com ele e conservaremos a sua descendência.

Nessa noite tornaram a dar vinho ao pai, e a filha mais nova teve relações com ele. De novo ele estava tão bêbado, que não percebeu nada. Assim, as duas filhas de Ló ficaram grávidas do próprio pai. A mais velha teve um filho, a quem deu o nome de Moabe. Ele foi o pai dos moabitas de hoje. A mais nova também teve um filho e pôs nele o nome de Ben-Ami. Ele foi o pai dos amonitas de hoje.



LIVRO DE GÊNESIS - CAPÍTULO 20

Abraão saiu de Manre, foi para o sul do país de Canaã e ficou morando entre Cades e Sur.

Mais tarde, quando estava morando em Gerar, Abraão dizia que Sara era sua irmã. Então Abimeleque, rei de Gerar, mandou que trouxessem Sara para o seu palácio.

Mas de noite, num sonho, Deus apareceu a Abimeleque e disse:
- Você vai ser castigado com a morte porque a mulher que mandou buscar é casada.

Abimeleque ainda não havia tocado em Sara e por isso disse:
- Senhor, eu estou inocente! Será que vais destruir a mim e ao meu povo? O próprio Abraão disse que Sara é irmã dele, e ela disse a mesma coisa. O que eu fiz foi de boa fé e não sou culpado.

No sonho Deus respondeu:
- Eu sei que você fez tudo de boa fé. Portanto, para que você não pecasse contra mim, eu não deixei que você tocasse nela. Agora devolva a mulher ao marido dela. Ele é profeta e orará para que você não morra. Mas, se a mulher não for devolvida, eu estou avisando que certamente você morrerá, você e todos os seus.

No dia seguinte, Abimeleque levantou-se bem cedo, chamou todos os seus servidores e lhes contou o que havia acontecido. E eles ficaram com muito medo.

Em seguida Abimeleque chamou Abraão e disse:
- Veja o que você fez! Que mal eu lhe causei para que você fizesse cair sobre mim e sobre o meu país a culpa de um pecado tão grande? Isso não é coisa que se faça. O que é que você estava pensando quando fez isso?

Abraão respondeu:
- Eu pensei que neste lugar ninguém respeitasse a Deus e que me matariam para ficar com a minha mulher. Além disso, Sara é, de fato, minha irmã, mas só por parte de pai. Sendo assim, eu pude casar com ela. Quando Deus me tirou da casa do meu pai e me fez andar por terras estrangeiras, eu disse a Sara: "Em todo lugar aonde formos, faça-me o favor de dizer que sou seu irmão."

Então Abimeleque devolveu Sara a Abraão. Além disso lhe deu ovelhas, bois, escravos e escravas.

E disse:
- Olhe, Abraão, aí estão as minhas terras. More onde quiser.

E Abimeleque disse a Sara o seguinte:
- Estou dando ao seu irmão onze quilos e meio de prata para que os que estão com você saibam que você está inocente. Assim, todos saberão que você não fez nada de errado.

Por causa do que tinha acontecido com Sara, a mulher de Abraão, o SENHOR Deus havia feito com que nenhuma das mulheres do palácio de Abimeleque pudesse ter filhos. Aí Abraão orou em favor de Abimeleque, e Deus o curou. E também curou a mulher dele e as suas escravas, e assim puderam ter filhos novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário